quinta-feira, 21 de julho de 2016

Harvest Moon

Come a little bit closer
Hear what I have to say
Just like children sleepin'
We could dream this night away.

But there's a full moon risin'

Let's go dancin' in the light
We know where the music's playin'
Let's go out and feel the night.

Because I'm still in love with you

I want to see you dance again
Because I'm still in love with you
On this harvest moon.

When we were strangers

I watched you from afar
When we were lovers
I loved you with all my heart.

But now it's gettin' late

And the moon is climbin' high
I want to celebrate
See it shinin' in your eye.

Because I'm still in love with you

I want to see you dance again
Because I'm still in love with you
On this harvest moon. 

Because I'm still in love with you

I want to see you dance again
Because I'm still in love with you
On this harvest moon.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Apenas um desabafo...

Discordar não gera o direito automático de agressão.

Nem mesmo o dever reflexo de tolerar agressão. 

Manter discussões no plano das ideias é sinal de inteligência!


quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Turpitude


Os grilhões do silêncio me fazem prisioneira
Ainda
O tempo não me trouxe a liberdade
Canalha
As lembranças habitam minha mente
Confusa

Até quando?

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Relembrando...

...o doce e bom Sr. João Araujo (também conhecido como meu vovô), eis que me deparo com esse pequeno poema, de lavra do também sergipano Tobias Barretto (1859):

Ao Promotor Leandro Borges

Quando Deus formou o mundo,
Pra castigo de infiéis:
Deu ao Egito gafanhotos,
Ao Brasil deu bacharéis.

Tempos sombrios.  Os de hoje e os de outrora...

sábado, 19 de setembro de 2015

Porquês

São tantos porquês que a sopa de letrinhas me é indigesta.
Perdi o apetite.  Perdi a energia.
O final da palavra saudade que, antes, vivia em seu prato, hoje também se perdeu.
Onde foi parar?  O que faço para voltar a me alimentar da sua saudade, que se misturava com a minha num tempero que era tão nosso?
A sopa insossa, hoje só tem porquês.

sábado, 11 de julho de 2015

Doer

Crescer dói.
Cicatrizar dói.
Apaixonar-se dói.
Doer me mantém viva, me alimenta.
A dor me acalenta.
Sem ela, meu mundo se esvai.
Doer me sustenta.